Clínica de Oftalmologia Dr Horácio Correia - Doença dos Olhos / Consulta de Refrativa

Consulta de Refrativa

Bookmark and Share


Será um bom candidato para cirurgia refrativa?

Pode ser um candidato a cirurgia refrativa se:
  • deseja diminuir a sua dependência de óculos ou lentes de contato;
  • não tem história prévia de doenças oculares;
  • aceita os riscos inerentes e potenciais efeitos colaterais do procedimento;
  • tem o erro refractivo apropriado.
Embora a cirurgia refrativa oferece a algumas pessoas uma alternativa para a dependência de óculos ou lentes de contato, não é para todos. Pode não ser um bom candidato para cirurgia refrativa se estão geralmente satisfeitos com óculos ou lentes de contacto. Mesmo após a cirurgia refrativa, certas pessoas podem ainda precisar de usar óculos ou lentes de contatos.
O melhor método de corrigir a sua visão deve ser decidido após uma análise aprofundada e discussão com o seu oftalmologista.

Como o olho funciona?
Os raios de luz entram no olho através da córnea, pupila, e cristalino. Estes raios de luz são focados directamente sobre a retina, tecido do fundo do olho sensível à luz. A retina transforma os raios de luz em impulsos, sendo enviandos através do nervo óptico para o cérebro, onde são reconhecidos como imagens. Cerca de 70 por cento do poder de foco do olho provém da córnea e 30 por cento do cristalino.
Muitas formas de cirurgia refrativa melhoram a visão, mudando a forma da córnea. Outros procedimentos envolvem o implante de uma lente dentro do olho.

Figura 1 - Esquema de um olho humano

Figura 1 - Esquema de um olho humano

Num olho com miopia, o poder de focagem da córnea é forte demais para o comprimento do olho. Em vez de focar na retina, as imagens são focadas à frente dela. Ao tratar a miopia, certas técnicas de cirurgia refrativa reduzem a curvatura da córnea para diminuir poder de focagem do olho. As imagens que se concentram na frente da retina passam a ser focadas mais perto ou directamente na retina após a cirurgia.
Num olho com hipermetropia, o poder de focagem da córnea é demasiado fraco para o comprimento total do olho. Em vez de focar na retina, imagens focam atrás da retina. Ao tratar a hipermetropia, certas técnicas de cirurgia refrativa tornam a córnea mais curva na área central para aumentar o poder de focagem do olho. As imagens que estão focados para além da retina, devido a um olho curto ou córnea plana, são deslocadas para mais perto ou directamente na retina após a cirurgia.
O astigmatismo ocorre quando a córnea é mais curva num meridiano do que no outro, como a forma de uma bola de rugby. Se o astigmatismo é significativo, a luz que passa através da córnea fica espalhada, resultando em visão turva e distorcida. Ao tratar o astigmatismo, técnicas de cirurgia refrativa selectivamente vão remodeler certas porções da córnea para a tornar mais simétrica, como a forma de uma bola de futebol.

Figura 2 – Olho sem erro refractico, miopia e hipermetropia

Figura 2 - Olho sem erro refractico, miopia e hipermetropia

Os procedimentos de cirurgia refrativa mais comuns incluem:
  • LASER in situ keratomileusis (LASIK);
  • Técnicas de ablação de superfície, nomeadamente a ceratectomia fotorrefrativa (PRK);
  • Lentes intra-oculares fáquicas.
LASIK
O LASIK é um procedimento de microcirurgia que usa LASER excimer para corrigir miopia, hipermetropia e astigmatismo. Na fase inicial do LASIK, um outro tipo de LASER (femtosegundo) ou um instrumento altamente especializado (microceratotomo), é usado para criar um flap superficial na córnea. Posteriormente, o LASER excimer é aplicado na zona abaixo do flap corneano. O flap é então reposicionado na sua posição inicial. Não há necessidade de sutura.

Figura 3 – Passos do procedimento cirúrgico LASIK

Figura 3 - Passos do procedimento cirúrgico LASIK


Técnicas de ablação de superfície
A ablação de superfície é uma técnica de cirurgia refrativa usada para tratar miopia, hipermetropia e astigmatismo. Com este tipo de procedimento, a camada mais externa da córnea, o epitélio, é removido para expor o estroma (camada mais espessa da córnea). Um LASER excimer então remodela a superfície frontal do estroma corneano. A cirurgia termina com a colocação de uma lente de contacto terapêutica. Esta técnica cirúrgica é geralmente recomendada em vez de LASIK para pessoas com córneas finas. A ceratectomia fotorrefrativa (PRK) é um exemplo desta técnica cirúrgica.

Ceratectomia fotorrefrativa (PRK)
Com o PRK, o cirurgião remove a camada mais externa da córnea, o epitélio. Ao tratar a miopia, o cirurgião usa o LASER excimer para remover o tecido corneano central num padrão circular, induzindo achatamento e enfraquecimento do poder de focagem da córnea. O tecido é removido num padrão controlado e programado no computador pelo cirurgião. Ao tratar a hipermetropia, o cirurgião utiliza o LASER excimer para remover o tecido da córnea periférica, resultando maior protrusão da córnea central para aumentar o poder de focagem do olho. Ao tratar o astigmatismo, o LASER excimer é programado para remover o tecido num padrão elíptico, remodelando selectivamente algumas porções da córnea para formar uma superfície lisa e simétrica. Este procedimento requer a avaliação precisa do astigmatismo, para que as quantidades correctas de energia do LASER sejam aplicadas.
O PRK é geralmente uma melhor opção para as pessoas cuja profissão e actividades diárias tornam mais perigoso ter um flap corneano, porque pode ser deslocado acidentalmente.

Lente Intra-oculares Fáquicas (LIO fáquica)
As LIO fáquicas são desenhadas para pessoas com alto grau de erros refractivos, que não podem ser corrigidos com segurança com a cirurgia refrativa corneana.

Figura 4 – Lente intra-ocular fáquica de fixação à íris

Figura 4 - Lente intra-ocular fáquica de fixação à íris

Durante o procedimento cirúrgico, o seu oftalmologista, coloca o LIO fáquica ou na frente ou atrás da íris do olho. Uma vez que a IOL está corretamente posicionada no interior do olho, ela fornece as correções necessárias para redirecionar os raios de luz com precisão sobre a retina. Há que lembrar que este tipo de lente é implantada cirurgicamente na frente da lente natural do olho, desingada por cristalino. Esta lente natural do olho não é removida durante o procedimento.

Qual é o melhor método?
Não há melhor método universalmente aceite para corrigir erros de refracção. Discutir as suas necessidades e estilo de vida com o seu oftalmologista é necessário para determinar o melhor procedimento.

A não esquecer!
Pode ainda necessitar de óculos ou lentes de contato para conseguir a sua melhor visão, mesmo após cirurgia refrativa.
Cirurgias do retoque adicional podem ser necessárias para alcançar os resultados desejados.
Os óculos de leitura podem ainda ser necessários para os adultos de meia-idade e mais velhos. A cirurgia refrativa não altera o processo de envelhecimento do olho e não impede a presbiopia.

 

Notícias em destaque

IOL MASTER 500 vs BIOMETRIA DE CONTATO

  As grandes vantagens da biometria realizada pelo IOL Master 500 são o não...

iTrace - Novo equipamento disponível

A Clínica Oftalmológica Dr. Horácio Correia vai ter disponível um novo...
ASCRS 2015 em San Diego

ASCRS 2015 em San Diego

O Dr. Faria Correia participou como palestrante no Congresso da American Society of Cataract and...