Clínica de Oftalmologia Dr Horácio Correia - Doença dos Olhos / Consulta de Vítreo e Retina

Consulta de Vítreo e Retina

Bookmark and Share


Na CONSULTA DE VÍTREO E RETINA avaliam-se doenças relacionadas com o segmento posterior do olho, nomeadamente Degenerescência Macular da Idade, Degenerescências Vítreo-Retinianas (Membranas Epirretinianas, Buraco Macular), Descolamentos  e Degenerescências Periféricas da Retina, e também Maculopatias Iatrogénicas (Plaquinol, Etambutol, Isoniazida, Tamoxifeno).


DEGENERESCÊNCIA MACULAR DA IDADE

A mácula é o ponto da retina sobre o qual os raios de luz se encontram, uma vez focados pela córnea. A retina recebe as imagens como um filme fotográfico (sensível à luz). Se a mácula está danificada, a parte central de uma imagem aparecerá desfocada. À sua volta não haverá problemas, porque a degenerescência macular não afeta a visão periférica. Também não provoca cegueira total, mas pode impedir a leitura.


Sintomas
A Degenerescência Macular da Idade (DMI) possui duas formas de apresentação: Seca e Exsudativa. A Degenerescência Macular causa diferentes sintomas nas pessoas. Algumas vezes, apenas um olho perde a visão central, enquanto o outro continua a ver por muitos anos. Os sintomas iniciais são as imagens distorcidas (linhas tortas).


Diagnóstico
Muitos doentes não se apercebem da DMI até que a visão enevoada se torna muito evidente. No entanto, o seu Oftalmologista pode detetar a doença em seus estadios iniciais. Ele examinará a mácula de forma cuidadosa, através de um aparelho chamado oftalmoscópio. Outros exames podem ser necessários como o OCT (Tomografia de Coerência Óptica) e a Angiografia Fluoresceínica. A DMI pode ser diagnosticada pelo Oftalmologista nos exames periódicos que devem fazer parte dos cuidados normais com a sua saúde. O diagnóstico precoce é muito importante e pode ajudar bastante no tratamento. Se na sua família há histórico de problemas de retina, o seu cuidado deve ser redobrado.


Prevenção e Tratamento 
Uma pessoa com degenerescência macular pode ser ajudada.
A suplementação nutricional previne a progressão da doença. Atualmente, já é possível tratar a DMI Exsudativa com medicamentos chamados anti-angiogénicos, e em raros casos com LASER


PATOLOGIA VÍTREO-RETINIANA
A membrana epirretiniana é uma fina camada de tecido cicatricial que cresce sobre a superfície retiniana da região macular, induzida por alterações da interface vítreo-retinina que ocorrem com o envelhecimento. À medida que a membrana epirretiniana se desenvolve, ocorre pregueamento da superfície da retina e, consequentemente, alteração da visão.
Outra patologia vítreo-retiniana frequentemente observada é o buraco macular, que é uma interrupção das camadas da retina na área macular, provocada por alterações da interface vítreo-retinina.
A clínica dispõe dos meios técnicos mais sofisticados para o estudo destas patologias, nomeadamente a Tomografia de Coerência Ótica de Domínio Espectral (SD-OCT).


DESCOLAMENTO POSTERIOR DO VÍTREO
A parte interna e posterior do olho é preenchida por uma substância gelatinosa e transparente denominada vítreo, que se encontra em contato com a superfície da retina. À medida que envelhecemos, o vítreo sofre um processo de liquefação e colapso das suas fibras, que culmina com sua separação da retina. Essa separação é designada de descolamento posterior do vítreo.

Esta condição está associada a queixas de sombras móveis no campo visual, de tamanhos e formatos variados (pontos, linhas, teias, etc.), com movimentos flutuantes e rápidos que acompanham os movimentos dos olhos. Além disso, os doentes podem ver flashes de luz no campo visual periférico.
Normalmente, o descolamento posterior do vítreo processa-se sem causar alterações na retina. Entretanto, em alguns casos, o vítreo pode puxar excessivamente a retina, causando rasgaduras retinianas, podendo originar descolamentos de retina.
O diagnóstico do descolamento posterior do vítreo e de rasgaduras retinianas é efetuado recorrendo à fundoscopia. Na presence de rasgaduras de retina, deve ser realizado tratamento de fotocoagulação LASER, para eliminar o risco de descolamento da retina.


DESCOLAMENTO DE RETINA
O descolamento de retina ocorre quando há separação entre a retina e as outras camadas da parte interna do olho. Esta situação clínica acarreta um risco de perda de visão, diretamente proporcional ao tempo e extensão do descolamento. O diagnóstico é feito através da fundoscopia. Em alguns casos em que há hipotransparência dos meios óticos oculares, recorre-se à ecografia modo B para estudo diagnóstico.  Perante um descolamento de retina estabelecido, o tratamento é cirúrgico e deve ser realizado com brevidade.
Notícias em destaque

IOL MASTER 500 vs BIOMETRIA DE CONTATO

  As grandes vantagens da biometria realizada pelo IOL Master 500 são o não...

iTrace - Novo equipamento disponível

A Clínica Oftalmológica Dr. Horácio Correia vai ter disponível um novo...
ASCRS 2015 em San Diego

ASCRS 2015 em San Diego

O Dr. Faria Correia participou como palestrante no Congresso da American Society of Cataract and...